O olhar de um bielorrusso sobre a crise no país | Boris G. Petrov

O olhar de um bielorrusso sobre a crise no país | Boris G. Petrov

Por Boris G. Petrov

Minhas origens familiares estão na Bielorússia, apesar do fato de eu agora viver em Kiev metade do ano e na Flórida, EUA a outra metade. Esta é a minha opinião sobre a situação. Lukashenko está envolvido em algo fora do seu alcance quando se trata de política externa. Ele pensou que poderia equilibrar a Bielorrússia entre o Oriente e o Ocidente e falhou ao observar a realidade. Lukashenko afastou a Rússia e o apoio russo dentro da Bielorússia como parte de sua tentativa de buscar equilíbrio. Certas facções multinacionais ocidentais aperfeiçoaram a Revolução Colorida por muitos anos e finalmente criaram uma estrutura totalmente funcional que usaram pela primeira vez na Ucrânia. Um dos principais pontos da Revolução Colorida é a guerra de informação, essencialmente o controle  da narrativa. Lukashenko como um colcoziano nunca entendeu como funciona a política internacional e como certas decisões interagem umas com as outras. A Bielorrússia nunca desenvolveu um sistema de guerra de informação e confiou na Federação Russa para combatê-la, com a Bielorrússia como sua grande beneficiária. Quando Lukashenko foi atrás dos jornalistas e da mídia russa, ele eliminou o único contrapeso às facções ocidentais, implementando as revoluções coloridas. As facções ocidentais foram facilmente capazes de ganhar influência na Bielorússia usando PSYOPS, ou operações psicológicas. Estas facções já tinham o modelo a ser utilizado e os recursos logo na fronteira, principalmente na Ucrânia, mas também na Polônia. Não precisaram nem mesmo mudar o idioma.

Todas as nações têm um certo número de fanáticos, especialmente as nações da Europa Oriental, e esses fanáticos são muito perigosos. Sua natureza exige que eles procurem o conflito e lutem contra o que eles consideram errado. Ao homem moderno falta qualquer discernimento espiritual e é facilmente manipulado pelo uso de PSYOPS e agentes de campo. Minha opinião pessoal é que eles são uma versão corrupta moderna dos Kshatriya dos Vedas, mas isso é um tópico para outra ocasião. Os jovens também carecem de experiência e são facilmente influenciados por operações psicológicas e se envolvem em eventos nos quais não deveriam estar envolvidos. Eles se misturam e os fanáticos estão dispostos a cometer qualquer crime para atingir seu objetivo e sua natureza psicológica lhes permite justificar qualquer ação. Estes apaixonados atacarão os serviços de segurança com violência e então os propagandistas inimigos da guerra da informação usam a reação dos serviços de segurança à violência cometida contra eles para espalhar uma falsa narrativa, obter o apoio de potências estrangeiras e levar mais cidadãos às ruas com base em sua raiva causada pela propaganda inimiga. Os fanáticos se esconderão entre os cidadãos regulares para fazer surgir situações que irão alimentar a revolução e podem ser usadas como propaganda.

Falei com minha família e amigos em Belarus, assim como com alguns contatos militares. O número de manifestantes é muito menor do que afirmam a propaganda inimiga e as forças de segurança estão sendo muito comedidas, exceto em alguns poucos casos que as facções ocidentais e alguns cidadãos que compraram a propaganda estão usando para tentar desestabilizar ainda mais o país. O inimigo viu uma abertura com a disputa entre a Bielorrússia e a Federação Russa e tomou medidas para fomentar a revolução.

 

A maioria dos bielorrussos ama o país e gosta do fato de que Lukashenko não permitiu que os oligarcas assumissem o controle, assim como o fato de que eles ainda têm muitos benefícios da era soviética. Vimos o que aconteceu com a Ucrânia e não queremos que isso aconteça com a Bielorrússia. Uma parte importante da discussão com a Rússia é sobre a integração dos dois países. A Federação Russa quer pressionar por mais integração, mas espera que a Bielorrússia adote o modelo de desenvolvimento da Federação Russa. O povo bielorrusso e Lukashenko acreditam que a Rússia deveria adotar o modelo bielorrusso de desenvolvimento econômico e social. Observamos que a Rússia foi bem sucedida apesar de um sistema econômico e político horrível e não por causa dele. A atual constituição da Federação Russa foi forçada pelo Ocidente após a capitulação da União Soviética. Este sistema viu a criação da classe oligárquica outros interesses financeiros prejudiciais que ainda têm grande poder na Federação Russa, apesar de algumas tentativas de limitar seu poder. Os cidadãos da Federação Russa também perderam benefícios sociais e subsídios da era soviética que o povo bielorrusso ainda desfruta até os dias de hoje. Os bielorrussos temem que uma maior integração lhes traria a lenta eliminação dos benefícios e liberdades que ainda desfrutam. O povo bielorrusso e Lukashenko não se importariam com a integração com a Federação Russa, mas não como um estado satélite ou sob o atual sistema de desenvolvimento que a Federação Russa adotou. Para manter o status quo, o pai tentou fazer uma jogada de equilíbrio como Tito. Lukashenko falhou em em seu intento e não percebeu que o poder brando russo estava protegendo ele e a Bielorrússia. Quando ele limitou a proteção russa, as facções ocidentais inimigas viram a falha e tiraram vantagem.

Neste momento, seria difícil conquistar a juventude. Leva tempo para reeducar uma geração de pessoas uma vez infectadas pela propaganda inimiga. A violência só ocorreu em incidentes isolados, mas aqueles que controlam a narrativa exageram e nunca discutem a violência que os fanáticos causam às forças de segurança. Uma minoria, principalmente de jovens, comprou a propaganda estrangeira e está tentando derrubar ilegalmente o Estado. A maioria silenciosa que apóia o Estado tem empregos e famílias, de modo que eles não conseguem de repente pegar e ir para as grandes cidades para tentar forçar sua agenda política pela garganta das pessoas. Neste ponto, a única solução que posso ver é que Lukashenko restabeleça as relações com a Federação Russa e obtenha ajuda deles. Seria de partir meu coração ver a Bielorrússia seguir o caminho da Ucrânia. Vivo na Ucrânia metade do ano e vi de perto o que acontece com um povo quando estas revoluções coloridas são bem sucedidas. A Bielorrússia será saqueada e prostituída por interesses financeiros estrangeiros.

Além disso, os protestos não tem nada a ver com Gandhi, como algumas pessoas afirmam. Gandhi estava lutando pela libertação de seu povo de uma potência colonial estrangeira que se aproveitou de seu povo durante anos. Esse povo na Bielorússia adotou uma ideologia estrangeira e está tentando derrubar o Estado para vender seu povo a interesses estrangeiros. Em alguns casos, os métodos podem ser semelhantes, mas o significado por trás disso é completamente diferente.

***

Originalmente em oneworld.press