Assembleia da ONU: Vexame, guerra e paz em 2021 | Lejeune Mirhan

0

Por Lejeune Mirhan

O artigo de hoje é dedicado à análise dos discursos ocorridos em 21 de setembro, na abertura da Assembleia Geral da ONU. É o Brasil quem abre a Assembleia, desde 1945. Esta foi a 76ª Assembleia Geral. Em seguida fala o presidente dos Estados Unidos. Vou dedicar especificamente às falas de Jair Bolsonaro, John Biden, do presidente da China, Xi Jinping, completamente oposta ao que disse Biden e do representante do presidente da Rússia, Vladimir Putin.

A Assembleia Geral das Nações Unidas não tem a mesma audiência que tem a abertura de uma Copa do Mundo de Futebol, que alcança cerca de três bilhões de pessoas no mundo inteiro, mas uma imensidão de pessoas estivera focada no seu desenrolar (1).

Ali estão os representantes da maioria dos países, de todos os estados-membros da ONU, pessoas de aldeias, municípios, prefeituras, províncias espalhados pelos cinco continentes. É um espaço privilegiado em que o Brasil poderia ter aproveitado para emitir para o mundo, as suas opiniões.

Mas, o que presenciamos no último dia 21 de setembro, foi uma barbaridade. Já se sabia desde a segunda-feira, que a fala do presidente seria eivada de mentiras. Eu pessoalmente, não aquilatava que pudessem ser tantas mentiras, como as que ele falou em seu discurso.

Assim que o discurso terminou de ser proferido – por volta das 11h do primeiro dia – eu fiz uma pesquisa dessas mentiras. Vi dezenas de artigos que tratavam do tema. Compilei as mentiras, cotejando e comparando os artigos entre si. Depois disso, eu encontrei exatas 15 mentiras e incongruências, imprecisões. Tenho certeza de que se lesse novamente, encontraria outras tantas. Alguns jornais mencionaram sete, outros oito, além das imprecisões.

Antes de arrolar as mentiras, quero fazer uma pequena análise sobre o conteúdo geral, problemas políticos apresentados, de forma resumida em cinco grandes aspectos.

1º] Bolsonaro não tocou em nenhum problema internacional. Nós não vivemos em uma ilha, não estamos isolados e temos que emitir a nossa opinião sobre alguns assuntos que afetam a humanidade como um todo e, aquele era o momento especial e privilegiado para isto (2).

O assunto que poderia ser classificado como externo, mas que não é propriamente mundial, é o conflito no Afeganistão, que gerou muitos refugiados. Ele até tocou neste ponto, mas de uma maneira malandra e discriminadora.

Malandra, porque ele falou que o Brasil receberia refugiados cristãos do Afeganistão. Eu não vou afirmar que não existam cristãos naquele país, mas o Afeganistão tem uma população muçulmana de mais de 99%. Então, é o mesmo que dizer que não vai receber nenhum afegão. Todo o 1% restante são de cristãos, farsis, hindus, sikhs e outras minorias (3). É discriminador, porque diz que só receberá refugiados cristãos. Por que não receber muçulmanos?

2º] Ele atacou a imprensa internacional, quando disse que o Brasil que todos estavam acostumados a ver, não era o Brasil verdadeiro ou real, mas um país ‘criado’ pela imprensa, em uma clara alusão de que a imprensa mente para os brasileiros e para o mundo.

3º] Ele falou para um público muito específico, no Brasil e no mundo, um público da extrema-direita, próximo ao fascismo. Em um plano mundial, ele falou para os fascistas do mundo inteiro que o admiram. E, falou também especificamente para a extrema-direita brasileira. Ele não falou como um chefe de Estado mas, no máximo, como um dos piores chefes de governo que o Brasil já teve e que fez o pior discurso que se poderia imaginar. Falou para os convertidos, como se diz popularmente.

O discurso foi para a sua base, dentro e fora do país. Não que ele seja um líder mundial, mas participa da Internacional Conservadora, como chama a imprensa, mas que na verdade é uma Internacional Fascista. Ele e seus filhos participam, assim como Steve Bannon, Donald Trump, entre outros (4).

4º] Uma característica de sua fala, remete a um Brasil da época da guerra fria dos anos 1940, 1950 e 1960. Ele chegou a dizer que salvou o Brasil de ter um governo comunista. Isto nunca aconteceu. O Brasil nunca esteve próximo sequer de um governo socialista e, que dirá, um governo comunista. Uma afirmação absurda, mas que seus seguidores acreditam piamente.

Essa é uma fala profundamente anticomunista, que já não se vê quase em nenhum país do mundo. Por mais que existam ainda alguns países com governos de direita, eles convivem com os partidos comunistas e são raros onde estes ainda são proibidos.

5º] O mais grave de tudo foi a sua omissão em tocar nos grandes problemas brasileiros. Ele falou de várias coisas, a maioria, mentirosa. Mas, não tocou em problemas como a volta da fome, miséria e as desigualdades existem no país, que só se aprofundam na sua gestão. O Brasil vive um distanciamento social dos maiores do mundo (5).

As grandes mentiras de Bolsonaro na ONU

1ª] Ele afirmou que o Brasil está há dois anos e oito meses sem nenhum caso de corrupção. Este governo, talvez seja o mais corrupto da história do Brasil e, há corrupção inclusive no próprio núcleo familiar (6).

2ª] Bolsonaro afirmou que o Brasil tem um governo que respeita as normas e leis constitucionais. Outra mentira. Ele é o maior ameaçador da Constituição. Ele ameaçou fechar o Congresso e o Supremo por diversas vezes. Deu uma acalmada desde o dia 9 de setembro, porque tinha ultrapassado todos os limites no dia 7 de setembro. Mas, não tenhamos ilusão, ele vai voltar a ser o que era, isto é uma questão momentânea, faz parte da sua natureza nazifascista (7).

3ª] Bolsonaro disse que o Brasil é um país que respeita e preserva o meio ambiente. É uma tristeza ver o presidente da República de um país mentir de tal maneira. Eu sou de origem pantaneira, nasci no meio do Pantanal, na cidade de Corumbá. Metade do Pantanal pegou fogo e não vai se recuperar. Os dados que ele forneceu no discurso sobre a Amazônia, não condizem com a verdade. A região vive hoje uma devastação sem precedentes. Os dados oficiais do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais-INPE que, às vezes, o governo impede que sejam divulgados, são estarrecedores (8).

4ª] Bolsonaro informou que o Brasil combate ao desemprego. Nós nunca tivemos uma taxa de desemprego tão alta na história, registrando 14 milhões, chegando a 15 milhões de desempregados (9).

5ª] Disse que o Brasil distribuiu 200 milhões de doses de vacina, tendo já vacinado 90% de sua população em primeira dose. Na verdade, apenas 70% da população tomou a primeira dose e, 40% as duas doses. Sabemos que a imunização completa se dá com as duas doses ou com a dose de reforço. Os vacinados ficam protegidos, mas ainda assim, não impede que se pegue a doença, com menos gravidade (10).

Além disso, ele reafirmou na ONU que é contra a vacinação dos jovens. Na contramão da Organização Mundial da Saúde – OMS, que está divulgado amplamente a necessidade de que todos sejam vacinados, acima de cinco anos.

O Governo Federal optou por não vacinar a sua juventude, mas recuou no último dia 22 de setembro. Ainda assim, mais uma vez, ele reafirmou a sua postura negacionista e anticientífica, colocando-se contra o chamado passaporte sanitário.

Aliás, ele foi destaque por não ter sido vacinado e a maioria da sua comitiva. Foi forçado a comer pizza de pé, na calçada, porque não poderia entrar em nenhum restaurante de Nova Iorque. A imprensa mundial nos informa que ele é o único chefe de estado do bloco denominado G-20 (os mais ricos do mundo) que não foi vacinado com duas doses (11).

Ele defendeu abertamente o tratamento precoce, ineficaz ou ineficiente, comprovadamente. Aliás, este foi um dos temas do depoimento à CPI da Covid, no dia 22/9, do diretor médico executivo da Prevent Sênior, Pedro Benedito Batista Júnior. Uma empresa que vive do comércio da saúde, que fez testes da mesma forma que os nazistas faziam com os prisioneiros dos campos de concentração, em idosos, à revelia deles (12).

Com relação à vacina, são estas as mentiras e contradições que o mundo, de certa forma, sabia, mas que foi dito pelo presidente com todas as palavras. Aliás, dentro do 20, que são os países mais desenvolvidos e ricos do mundo, o único chefe de Estado e de governo dentre eles, que não se vacinou foi ele. Todos os outros se vacinaram.

6ª] Uma das mais escandalosas mentiras na ONU foi a afirmação de que o Brasil é o país que mais recebe investimentos internacionais estrangeiros, em dólares. Vivemos hoje no Brasil a menor taxa de investimentos estrangeiros que já tivemos nos últimos anos (13).

7ª] Bolsonaro afirmou que as estatais brasileiras davam prejuízo e agora dão lucro. Isso é um absurdo, uma inverdade muito grande. O pouco de lucro, por exemplo, a Petrobras e outras empresas estatais estão dando, é porque elas estão vendendo seu patrimônio, delapidando as suas propriedades. Quando se vende uma refinaria, aparentemente, de forma ilusória, há um faturamento maior naquele ano, que não se repetirá no ano seguinte, o que é uma ilusão. As estatais brasileiras, até o governo da presidente Dilma, que sofreu um golpe, elas eram altamente lucrativas (14).

8ª] JB afirmou ainda que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social-BNDES, ajudou governos comunistas do mundo. Ele acha, por exemplo, que a Venezuela é um país comunista, o mesmo de Cuba, a qual o BNDES financiou a construção do porto de Mariel e que foi aplaudido por todos os empresários, exportadores brasileiros, como uma grande necessidade de, a partir dali, levar as mercadorias do Brasil para muitos países do mundo.

Nenhum dos empréstimos que o Brasil fez para quaisquer países, o Brasil teve prejuízo, ao contrário, teve muito lucro, porque o BNDES é um banco. Se o credor oferece garantias, ele te dá dinheiro, só que você devolve com juros e correção monetária.

E mais, a mentira também está relacionada com as estatísticas do BNDES, que mostram que nos últimos anos a maior parte do financiamento de empresas para exportar, visto que ele financia a exportação – foram feitas para empresas que vendem para os Estados Unidos que, de comunista não tem absolutamente nada. Não podemos esquecer que ele batia na tecla de que quando chegasse na Presidência abriria a “caixa preta” do BNDES.

Ele tentou fazer isso, contratou uma empresa de auditoria internacional por R$ 48 milhões. A empresa passou seis meses investigando a fundo as contas, os papéis, os balanços do banco e, no seu relatório final, ela chegou à conclusão de que não há irregularidades na contabilidade do banco. Ou seja, ele quebrou a cara e ainda gastou quase 50 milhões (15).

9ª] Ele disse que todo mundo está vendo que o Brasil está crescendo e sua economia está “bombando” e, ano que vem ou este ano, poderá crescer 5%. Nenhum economista, mesmo os admiradores dele, concordam. O que se diz é que, talvez, cresçamos este ano 1%, o que será o menor crescimento entre os países do G20 (16).

10ª] Bolsonaro fala que tem grande apoio popular (17), haja vista as manifestações do dia 7 de setembro, que foram “as maiores da história do Brasil” (sic). Mais uma mentira. Nada se equipara no Brasil às manifestações de 1984, que defenderam nas ruas as “Diretas Já”. Até dois milhões de pessoas foram para às ruas naquele ano. Nem mesmo aquelas manifestações de 2015/2016 para derrubar a presidente Dilma, nem de longe chegaram perto disso. Ele é um mentiroso contumaz (18).

11ª] Outra grande mentira foi quando ele afirmou que o lockdown decretado em alguns lugares – pois nunca foi decretado nacionalmente –, é hoje o grande responsável pela inflação elevada que nós estamos vivendo, quase que sem controle, de 10% ao ano (19). Quando se tem salários praticamente sem nenhum reajuste, é muita inflação. Esta é uma forma dele criticar os governadores e jogar a culpa, que é do governo central, nas costas dos governadores, que foram os que mais agiram e atuaram para combater a pandemia.

12ª] Mentiu quando disse que o Brasil tem o maior programa de parceria com a iniciativa privada de investimentos em infraestrutura. Há muitos países que têm muito mais do que o Brasil.

13ª] Quando ele elogia a agricultura brasileira chamando-a de moderna que exporta alimentos, como responsável pela alimentação de um bilhão de pessoas na terra, outra mentira. Além disso também ser mentiroso, é preciso dizer que no Brasil, o que põe alimento saudável na mesa das pessoas é a chamada Agricultura Familiar, responsável por 60% de tudo o que é produzido no campo no Brasil (20).

14ª] Outra grande mentira ocorreu quando ele falou que o Brasil usa 83% das suas fontes energéticas como fontes limpas e renováveis. As estatísticas mostram que estas fontes hoje respondem apenas por 45% e já existem hoje fontes como solar, eólica, nuclear e uma série de outras fontes alternativas que, inclusive, não são renováveis (21).

15ª] A última grande mentira ocorreu quando ele disse que o governo federal durante a pandemia concedeu um auxílio emergencial na faixa de 800 dólares, para mais de 60 milhões de pessoas. É uma mentira. Não há números que lhe deem guarida. Não foi ele que decidiu, foi o Congresso Nacional, quando ele queria dar R$200,00 e o Congresso elevou para 600 reais e já não consegue prorrogar.

O governo é contra e, no limite, e até que se chegasse a esse valor, que foi distribuído em cinco meses, quando nós sabemos que os Estados Unidos concederam uma ajuda mensal para as famílias mais pobres de US$ 1200 (22). O que ele fez foi, na verdade, manipular números, fazendo com que as pessoas acreditassem que esse valor seria pago todos os meses. Mesmo levando-se em conta que o Estados Unidos são muito mais ricos e poderosos que o Brasil, é uma distância muito grande entre aquilo que eles concedem e aquilo que nós concedemos.

O discurso de John Biden

O presidente dos Estados Unidos apresentou-se como um bom mocinho, uma cara alegre, tentando transmitir empatia. A imprensa estadunidense disse que ele é tão ou mais simpático do que o presidente John Kennedy, aliás, os únicos dois católicos, entre os 46 presidentes. Todos os outros foram protestantes.

A seguir, farei um resumo do discurso de Joe Biden na ONU, em 21 de setembro de 2021.

1º] O primeiro aspecto é que ele reafirmou que os Estados Unidos não buscam uma nova Guerra Fria. Nós esperamos que isso seja verdadeiro;

2º] O segundo aspecto, ele mencionou que o mundo vive uma inflexão, que seria como dizer que quando algo vem caindo, faz uma curva e começa a subir. Mas, em relação a que, não se sabe;

3º] O terceiro aspecto, ele mencionou uma nova era de diplomacia “forte”, sem ter detalhado, o que significa;

4º] O quarto aspecto é que ele tentou acalmar a União Europeia, a França e a Alemanha. Eles estão muito irritados com os EUA e protestaram contra o acordo chamado AUKUS (união militar entre EUA, Austrália e Inglaterra). Seu grande objetivo será agredir a China ou pelo menos tentar intimidá-la. Mas, não vai conseguir. Ele tentou passar a mão na cabeça da União Europeia (23);

5º] O quinto aspecto é que ele menciona, sem detalhar, é que vai começar uma nova era do poder do desenvolvimento. Será que ele vai fazer o que a China está fazendo, investindo no mundo inteiro? Como a chamada Rotas da Seda, cujo título original em inglês é Belt Road: cinturão e rota. Não sabemos (24).

6º] Ele mencionou que a democracia é a melhor forma de se combater o terrorismo. Eu estou em desacordo com as duas coisas. Primeiro, porque Estados Unidos nunca levaram democracia para lugar nenhum; segundo, porque eles não combatem o terrorismo, ao contrário, eles andam de braços dados com os terroristas. Esse é o caso do Estado Islâmico no Oriente Médio;

7º] Um outro aspecto é como apoiador do multilateralismo, defendendo fortemente a cooperação internacional. Tem partes de verdade nisso, os Estados Unidos voltaram para alguns organismos internacionais multilaterais importantes, como a OMS e o Acordo de Paris sobre o clima.

Aliás, ele voltou a colocar na mesa a questão do clima como questão central. Mas, ele não mencionou o mundo multipolar. Ser multilateralista não significa ser multipolar, a favor da multipolaridade. O sonho dele, na verdade, é que o mundo continuasse sendo unipolar, com os Estados Unidos mandando em todos. Isto já não é mais possível;

8º] Há outro aspecto que ele disse, é que os Estados Unidos estarão sempre ao lado de Israel, ele reafirma aquilo que nós sabemos: Israel é a menina dos olhos dos EUA, com o sionismo, que é o movimento antiárabes e antipalestinos.

Ele disse que é simpático à solução de dois Estados para resolver o conflito. Ele não falou nenhuma novidade, porque desde o Bush filho, passando por Obama e Donald Trump, os Estados Unidos sempre apoiaram essa proposta de dois Estados, só que nunca fizeram nada para que se concretizasse. E ele reafirmou que os Estados Unidos nada farão para que isto aconteça.

Isso é uma triste notícia para os palestinos, ou seja, os EUA não usaram a sua força e prestígio junto à comunidade judaica para patrocinar um processo de negociação de paz, como já o fizeram Jimmy Carter e Bill Clinton. Eles patrocinaram e propiciaram aproximações entre árabes e israelenses, na tentativa da construção da paz, respectivamente em 1979 e 1993.

9º] Ele disse também que os Estados Unidos vão fazer de tudo no sentido de que a quantidade de carbono emitido seja reduzida drasticamente até 2030/2050, de forma que ele faz planos para outros governos posteriores. O máximo que o Biden vai conseguir é uma reeleição daqui há quatro anos, mas ele está planejando até 2050. A China faz isso, mas porque tem outra história e outra tradição.

10º] Eu deixei para o final alguns aspectos da fala dele que mostram ainda que não explicitamente, o lado militarista dos Estados Unidos.

A) O primeiro deles é que os Estados Unidos evitarão que países mais fortes dominem os países mais fracos, em uma clara alusão à República Popular da China. Ele se apresentou como protetor dos países mais fracos para defendê-los de países fortes. Esta é uma posição bélica, agressiva, militarista. Como é que você protege um país, senão pela força militar?

B) O segundo aspecto que eu percebi é a militarização que ele mostra, quando ele disse que fortalecerá a aliança que mencionei acima, a chamada AUKUS, além da outra Aliança Militar lá no Pacífico chamada QUAD, que é uma Aliança Militar entre Estados Unidos, índia, Japão e Austrália. Que é também para ameaçar e intimidar a China. E ele defendeu abertamente o fortalecimento destas organizações militares.

C) E, por fim, ele disse que os Estados Unidos empreenderão ações militares no exterior que forem claras e viáveis. O que seriam “ações militares claras e viáveis”? Se fosse pacifista e ele estivesse disposto a não usar o seu poderio bélico para atacar outros países, ele teria dito claramente que “os Estados Unidos não farão guerra contra nenhum país do mundo”. Ele disse que continuarão fazendo e apenas colocou um adjetivo de que estas guerras têm que ser “claras e viáveis”. Esta foi a fala do Biden.

O meu colega e camarada, parceiro de programa de todas as quartas às 10 horas da manhã, na TV 247, o jornalista José Reinaldo Carvalho, escreveu recentemente um artigo jornalístico cujo título é: “Biden se apresenta como líder da chamada guerra híbrida” (25).

A guerra híbrida é feita contra outros países, não necessariamente pela força das armas. Tem guerra da comunicação, a guerra política e ideológica, tem a guerra cultural e tem a guerra econômica, das sanções, tem a guerra judicial do Lawfer. Então, não é mais só guerra armada. Por isso que alguns autores usam o termo Guerra Híbrida (26).

O discurso do Xi Jinping

Passo a mostrar a essência do discurso do presidente da República Popular da China, Xi Jinping, que gastou exatamente 15 minutos que lhe foram concebidos. Evidente que o Biden não gostou. Eu não fiquei surpreso, porque eu esperava um conteúdo semelhante ao que eu vou apresentar a seguir, com cerca de oito pontos.

1º] Ele abriu seu discurso dizendo que a democracia não é um direito reservado especialmente a um único país. Ele também disse que é preciso respeitar todas as formas de governo e todas as democracias. A China e a Rússia já vêm dizendo isto há algum tempo: não existe uma única forma de democracia. Esta é uma crítica implícita ou quase explícita aos Estados Unidos, que acham que se não for do jeito deles, não é democracia.

Eu li em torno de 30 artigos em vários idiomas e vi que muitos jornais no Brasil e no exterior se referem ao presidente da China como “ditador chinês”. E a mesma coisa nós estamos acostumados quando falam de Cuba, porque o presidente não foi eleito pelo voto direto. A China é parlamentarista, assim como Cuba, Itália, Israel e Alemanha. Eles não elegem o presidente pelo voto direto e nem por isso eles falam que estes outros países são uma ditadura;

2º] O segundo aspecto é que o Xi garantiu e deixou claro que todo e qualquer problema entre estados, entre países, deve ser resolvido pelo diálogo e pela cooperação. Os Estados Unidos não falam desta maneira, eles não descartam a guerra;

3º] O terceiro aspecto do discurso do Xi é que ele faz uma crítica às intervenções militares que foram feitas em muitos países, em uma alusão clara de que só os Estados Unidos fazem tais intervenções e, por onde eles passaram e onde elas ocorreram, deixaram um rastro de muitos danos e sofrimentos ao povo com milhares de mortes;

4º] O quarto aspecto de seu discurso e também numa alusão aos Estados Unidos, ele disse que o mundo deve rejeitar a formação de pequenos grupos formados com objetivos concretos e tácitos, explicitamente militar, de intimidação e agressão.  Isso foi uma clara alusão ao AUKUS e ao QUAD;

5º] O quinto aspecto mais relevante do discurso de Xi, é que só a cooperação internacional poderá livrar o mundo da pandemia. Então, ele mostra que a ONU precisa ser fortalecida. Ele, junto com Putin, são os grandes defensores desta tese;

O discurso que o presidente da Rússia, Vladimir Putin tem feito é muito parecido com o do Xi, mas com uma tonalidade mais agressiva, no sentido defensivo, porque a Rússia está sendo ameaçada muito de perto pela fronteira ucraniana.

A China vem sendo ameaçada também pelo seu mar do Sul. Registramos muitas ameaças, mas os navios de guerra de outros países navegam naquela região e eles evitam de entrar nas águas estritamente territoriais chinesas;

6º] A sexta questão também é um recado claro aos Estados Unidos, quando Xi criticou a excessiva politização da investigação e da pesquisa sobre a origem do vírus da Covid-19, conforme temos visto desde a posse de Biden.

Esta é uma crítica direta aos Estados Unidos. Biden, na mesma linha de Donald Trump, abriu uma investigação e deu 90 dias para os órgãos de inteligência apresentarem um estudo. Eles não chegaram a nenhuma conclusão, porque não foi a China que produziu isso. Inclusive, na conclusão do relatório eles acusam a China de que eles só não descobriram que foram os chineses que produziram o vírus, porque os chineses não os deixaram fazer as suas investigações. Um verdadeiro absurdo essa conclusão.

A Organização Mundial da Saúde – OMS, já tinha feito uma grande investigação científica, passando 40 dias na China, onde levou uma delegação imensa de cientistas. E, o que se sabe, é que o vírus passou do mundo animal para os seres humanos;

7º] A sétima questão é a que reafirma o seu compromisso com a paz. E ele falou uma verdade, que está em vigor praticamente desde meados do século 19: a China não invade outros países, não guerreia, não faz guerra contra outros países, em especial com aqueles que lhe fazem fronteira. Esta é uma verdade. E afirmou que a China não busca hegemonia.

Disse ainda que o sucesso de um país não pode significar no fracasso de outro. O que é exatamente aquilo que os analistas internacionais falam sobre como a China opera, a chamada relação “ganha-ganha”, onde os dois lados ganham.

A China nunca disse que não quer ter lucro. Ela quer fazer comércio com qualquer país. Mas, ela não quer que este comércio prejudique outro país, que também tem que ganhar. Não por acaso as chamadas rotas da seda moderna são investimentos em infraestrutura para que as mercadorias chinesas cheguem rapidamente aos seus compradores e vice-versa.

Ainda dentro deste sétimo aspecto, ele reafirma a busca do diálogo e da inclusão e não do confronto e da exclusão. Então, são duas formas de agir: diálogo, inclusão e não confronto e exclusão. Ele disse que as relações internacionais devem ser baseadas no respeito mútuo e na equidade, justiça e cooperação. Estas palavras não são pronunciadas pela boca de John Biden.

8º] O oitavo e último aspecto é a defesa do multilateralismo e o fortalecimento das Nações Unidas como instituição que deve centralizar a tentativa de resolução dos problemas gerais da humanidade.

Discurso de Serguei Lavrov em nome de Putin

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, encontra-se em quarentena absoluta. Não pelo fato de ter pegado a Covid-19, mas pelo fato de ter tido contato com várias pessoas que a pegaram. Nesse sentido, Putin deixou de prenunciar seu discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas, indicando seu ministro das Relações Exteriores, Serguei Lavrov, para fazê-lo em seu nome. São os seguintes os pontos mais importantes de seu pronunciamento (27):

1º] Fez um chamamento à União da comunidade Internacional para a resolução dos principais problemas que afligem a humanidade pelo diálogo e pela diplomacia, como disse Xi;

2º] Criticou os países ocidentais por menosprezarem o papel das Nações Unidas na resolução de conflitos internacionais;

3º] Defendeu o fortalecimento e o respeito ao direito internacional;

4º] Afirmou que a ONU não pode se tornar um instrumento à serviço de interesses egoístas de algumas nações mais poderosas, em uma clara alusão aos EUA;

5º] Criticou a ingerência interna dos EUA em muitos países;

6º] Defendeu o fim das sanções e a política de se governar por meio delas. Criticou em especial as sanções impostas à Cuba e à Venezuela;

7º] Classificou o embargo econômico à Cuba como obsoleto e que viola todas as decisões das assembleias gerais da ONU;

8º] Criticou à discriminação das vacinas que não estejam registradas e que não tenham tido ainda a certificação do órgão responsável nos EUA (CDC e FDA). Isso é claramente parte do que vimos chamando de Guerra das Vacinas (28).

Conclusões

Esta foi a terceira vez que nosso Brasil foi “representado” (sic) na ONU por essa figura abjeta, que se apresenta como nosso presidente. Tudo fazemos no momento para que não tenha uma quarta vez. Por isso os atos gigantes que estão sendo amplamente convocados para o próximo dia 2 de outubro, em todo o país.

Nunca em nossa história, passamos tanta vergonha perante a comunidade internacional por termos um “presidente” dessa qualidade rasa, limítrofe, borderline como se diz em psicologia. O povo brasileiro não merecia uma situação como essas.

De fato, de qualquer forma, se olharmos em perspectiva sobre as últimas assembleias gerais das Nações Unidas, vamos ver cada vez mais um protagonismo maior da República Popular da China, bem como da Rússia, na linha de um mundo cada dia mais multipolar em oposição da unipolaridade de 1991, que já vai longe, quase trinta anos.

O discurso do chefe do imperialismo estadunidense procurou ser diferente, mais assertivo, proativo e até mesmo diplomático. Mas, ninguém mais acredita. Ele deixou claro, nas entrelinhas que o destino daquela Nação é ameaçar países e invadi-los quando for o caso, quando esses têm eventualmente governantes que não rezem pela sua cartilha.

No entanto, isso não tem mais prevalecido. O imperialismo vai ficando cada dia mais isolado no mundo, desta feita agora até pelo seu histórico parceiro, que é a União Europeia, França e Alemanha. Restou-lhe o poodle e serviçal Boris Johson, primeiro-ministro da Inglaterra, sempre disposto a beijar a mão do imperador.

Mas, isso já não funciona mais. O caminho da humanidade é inexoravelmente, na linha da multipolaridade. Cada dia veremos a decadência e declínio dos EUA, enquanto potência cada dia menos hegemônica. Hoje temos a Rússia e a China que os enfrentam. Amanhã, seguramente, teremos de volta o Brasil e a Índia, também governada hoje por um direitista e racista.

Em tempo: no momento que concluímos este nosso novo ensaio, chegam-nos os primeiros resultados das pesquisas de boca de urna e da apuração das eleições da Alemanha ocorridas no domingo, dia 26 de setembro, onde o setor progressista (esquerda, centro-esquerda e centro democrático) deve chegar perto de formar novo governo (ao que tudo indica elegeram juntos 362 deputados, quando a maioria para governar deve ser de 365 de um total de 730 deputados no Bundestag) (29).

Notas

1) Vejam neste link <https://bit.ly/3CI2Kc2> sobre a audiência mundial de uma copa do mundo;

2) Aqui neste link <https://bit.ly/3ETDth2> vocês podem ler a reportagem onde o ex-chanceler menciona esse assunto;

3) O Afeganistão é um dos países muçulmanos com maior índice percentual de aderentes a essa religião conforme podem ver neste link <https://bit.ly/3sKydqm>;

4) Está em curso a formação de uma Internacional Conservadora conforme pode-se ler neste link <https://bit.ly/3obg84u>;

5) Dados estatísticos oficiais mostram que mais de dois milhões de família caíram na pobreza extrema sob o governo de Bolsonaro, conforme se pode ler neste link <https://bit.ly/39D2QFp>;

6) Aqui neste link <https://bit.ly/3ETsZy1> pode-se ler todas as denúncias sobre os principais casos de corrupção no governo Bolsonaro;

7) Uma das maiores organizações internacionais de luta pelos direitos humanos, a Human Right faz contundente denúncia que o governo de turno viola e tenta derrubar os pilares da democracia no Brasil, como pode-se ver neste link <https://bit.ly/3i4qcZh>;

8) Aqui neste link pode-se ler, pelo menos no que diz respeito à devastação da Amazônia, como este governo tem sido predador da natureza e dos santuários ecológicos brasileiros como pode-se ver neste link <https://bit.ly/2ZoYa44>;

9) Os índices oficiais de desemprego desmentem cabalmente o discurso de Bolsonaro na ONU como podemos ver neste endereço <https://bit.ly/39F8ua0>;

10) Vejam neste site internacional <https://bit.ly/3i9PWU6> os dados oficiais sobre a vacinação no Brasil, desmentindo o discurso do presidente na ONU;

11) Aqui neste link <https://glo.bo/2XNaTwH> a comprovação da vergonha mundial onde Bolsonaro é o único chefe de estado e/ou de governo do G-20 que compareceu à AG da INU sem estar vacinado;

12) Nesta reportagem <https://bit.ly/3CPc4Le> as experiências (experimentos) ocorridos na Prevent Sênior podem ser comparados com as experiências nazistas nos campos de concentração;

13) Outra comprovação de mais uma mentira de Bolsonaro na ONU, pode ser lido neste link <https://bit.ly/3oaAk6I> no que diz respeito ao nível de investimentos externos no país, o menor nos últimos tempos;

14) Neste endereço <https://bit.ly/3CScnVR> pode-se ler sobre a queda dos lucros das estatais brasileiras, e não de seu aumento como disse o presidente no discurso na ONU;

15) Aqui neste link <https://glo.bo/39FzF4E> a reportagem sobre o vexame da contratação de uma auditoria internacional por 48 milhões de reais para “apurar a caixa preta do BNDES”. Nada se apurou de irregularidades;

16) Diferente do que disse na ONU o presidente, os cenários para o Brasil na economia são os mais sombrios possíveis como pode-se ler nesta reportagem <https://bit.ly/2WeqJA1>;

17) Reprovação do governo Bolsonaro atinge seu maior índice depois da posse como vemos neste link <https://glo.bo/3kJwUFA>;

18) Sobre as manifestações contra e favor de Bolsonaro podem ser lidas neste link <https://bit.ly/3ANB4Sz>;

19) Bolsonaro na ONU distorce fatos ao afirmar que o lockdown decretado parcialmente em apenas alguns estados é o grande causador da inflação no Brasil, como pode-se ler neste artigo <https://bit.ly/3o89ITA>;

20) Ao contrário do que afirmou Bolsonaro na ONU, ele que é o grande defensor do agronegócio, é a agricultura familiar que garante mais de 70% do alimento consumido pelos brasileiros conforme vemos nesta reportagem <https://bit.ly/3uhyphI>;

21) Aqui outro desmentido, sobre o percentual da matriz energética limpa no Brasil, que pode ser lido neste link <https://bit.ly/3o9pJZJ>;

22) Nesta reportagem <https://bit.ly/3i8YISg> podemos ver mais uma distorção de números com relação ao valor do pagamento do chamado auxílio emergencial para os mais pobres no Brasil;

23) Veja neste artigo o significado da nova aliança militar dos EUA no Pacífico chamada de AUKUS <https://bit.ly/2XJGqzD>;

24) Em reunião do G-7 realizada na Europa em abril, os EUA lançam a ideia de uma espécie de nova rota da seda ocidental para ajudar países menos desenvolvidos, conforme pode-se ver nesta reportagem <https://bit.ly/3CKqvAn>;

25) Neste endereço < https://bit.ly/3urC0Kd> pode-se ler o artigo mencionado de José Reinaldo de Carvalho;

26) Para entender os conceitos de guerra híbrida, leia este artigo de opinião neste endereço <https://bit.ly/3AJrn7z>;

27) Aqui neste link <https://bit.ly/39FJn6Y> pode-se assistir aos 27 minutos do discurso de Lavrov na ONU pela RT em Espanhol;

28) Neste link <https://bit.ly/3F4Au5F> podem assistir à minha participação em 21 de outubro de 2020 na TVT, onde abordo o conceito de guerra das vacinas;

29) Vejam neste link <https://glo.bo/2XWwiUs> os resultados oficiais das eleições na Alemanha de domingo, 26 de setembro, com a vitória da Social-democracia alemã, que derrotou, por pequena margem, a centro-direita de Ângela Merkel.

***

Prof. Lejeune Mirhan é sociólogo, professor universitário (aposentado) de Sociologia e Ciência Política, escritor e autor de 14 livros, é também pesquisador e ensaísta

Assembleia da ONU: Vexame, guerra e paz em 2021 | Lejeune Mirhan 1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui